Notícias

Leucemia Infantil: sintomas e tratamento

Leucemia Infantil: sintomas e tratamento

A leucemia é o câncer que tem origem na medula óssea, onde são produzidas as células do sangue. Da medula, células leucêmicas atingem o sangue e, a partir dele, infiltram nos gânglios linfáticos, baço, fígado, sistema nervoso central, testículos e outros órgãos.

Nas crianças, a medula ativa é encontrada em praticamente todos os ossos, enquanto nos adolescentes ela é encontrada principalmente nos ossos planos ou chatos (crânio, omoplatas, costelas, esterno e pelve) e nas vértebras.

Uma criança é diagnostica com leucemia quando as células se tornam anormais, não realizam suas funções e se multiplicam rapidamente, tomando o lugar das células saudáveis na medula e no sangue.

Os sintomas de diminuição dos glóbulos vermelhos, glóbulos brancos e plaquetas podem ser observados nos exames de sangue, mas como as células leucêmicas podem invadir outras áreas do corpo, levando a alguns outros sinais e sintomas.

É importante observar e em caso de dúvida levar a criança ao médico, os principais sintomas são:

A escassez de glóbulos vermelhos pode provocar fadiga, fraqueza, sensação de frio, tontura, dores de cabeça, falta de ar e palidez. A diminuição dos glóbulos brancos pode ocasionar infecções e febre.

Os sintomas devido à diminuição das plaquetas, podem levar a hematomas, hemorragias e sangramento nas gengivas. Dor nos ossos ou nas articulações pode ser provocado pelo acúmulo de células leucêmicas próximas da superfície do osso ou das articulações.

O inchaço do abdome acontece devido as células leucêmicas se acumularem no fígado e baço aumentando seu tamanho. Isso pode ser notado como um inchaço na barriga.  A perda de apetite e perda de peso, pode acontecer se o aumento do baço ou fígado for muito grande, eles podem pressionar outros órgãos como o estômago, limitando a ingestão de alimentos.

O aumento dos linfonodos pode acontecer por estarem lutando contra uma infecção, especialmente em lactentes e crianças. A leucemia linfoide aguda tipo T, muitas vezes envolve o timo, e o aumento do timo ou dos linfonodos do tórax pode pressionar a traqueia, provocando tosse ou dificuldade respiratória.

E ainda um aumento do timo, devido a excesso de células leucêmicas pode pressionar a veia cava superior, provocando a síndrome da veia cava superior. Isso pode causar inchaço na face, pescoço, braços e parte superior do tórax, dores de cabeça, tonturas e alteração da consciência.

Algumas crianças podem estar com a leucemia disseminada para o cérebro e medula óssea no momento do diagnóstico. Isso pode provocar sintomas como dores de cabeça, problemas de concentração, fraqueza, convulsões, vômitos, problemas de equilíbrio e visão turva.

Uma consequência rara, mas severa da leucemia mieloide aguda é cansaço, fraqueza e problemas na fala. Isso pode ocorrer quando um número elevado de células leucêmicas torna o sangue espesso, diminuindo a circulação através dos vasos sanguíneos finos do cérebro.

É importante fazer um acompanhamento medico para diagnosticar, pois os sintomas podem estar relacionados a outras tipo de doenças.

O fator mais importante na escolha do tratamento é o tipo de leucemia, mas o principal tratamento é a quimioterapia. Para algumas crianças com leucemias de alto risco, a quimioterapia em altas doses pode ser administrada junto com o transplante de medula óssea. Outros tipos de tratamentos, como terapia alvo, cirurgia e radioterapia são utilizados em circunstâncias especiais.

Para as opções de tratamento é importante ter uma equipe médica formada por especialistas e todas as opções devem ser discutidas com o médico, bem como seus possíveis efeitos colaterais, para ajudar a tomar a decisão que melhor se adapte às necessidades de cada paciente.